CID-10 para odontologia: como consultar

Tempo de leitura: 3 minutos

O CID-10 é à Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde, uma série de códigos estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A meta do órgão é padronizar o código de enfermidades e demais condições relacionadas à área da saúde. A versão em prática atualmente foi revisada em 1992, mas a tabela passa por pequenas mudanças a cada ano.

Tanto aspectos físicos, quanto psicológicos recebem um registro exclusivo para facilitar a documentação. Portanto, quadros odontológicos estão incluídos nesse critério. Com o CID-10, a OMS repassa para as entidades responsáveis as classificações específicas para cada problema.

É importante destacar que os códigos englobam também sinais e sintomas de condições mais amplas. Por consequência, para cada estado de saúde é atribuído uma combinação única. Quando for justificar um tratamento, o profissional de saúde esclarecerá o processo com o CID-10 no atestado ou histórico do paciente. A odontologia obedece às regras determinadas pela OMS para registrar as condições, como você pode conferir a seguir.

As utilizações mais importantes do CID-10

Uma das principais finalidades do código é auxiliar os profissionais do ramo da saúde na hora de elaborar os atestados médicos. Isso porque uma boa parcela dos convênios pede registro para dar continuidade ao procedimento. Sendo assim, ter esses dados é importante para o controle das empresas que assim se previnem contra possíveis falsificações ou qualquer tipo de fraude.

O atestado também pode ser apresentado ao empregador. Contudo, devido ao sigilo médico-paciente, o CID-10 só ficará constado se o paciente solicitar de maneira expressa, se a justiça demandar ou se se existir uma razão justa e importante. Para ter acesso a essa informação, a companhia tem de contestar a validade do documento em uma junta médica.

A Previdência Social é outra entidade que, por vezes, pede o código da doença para as cumprir suas funções.

Ter um padrão reconhecido dentro e fora e do país viabiliza a fácil comunicação entre profissionais da saúde. Essa unificação é um grande benefício para os indivíduos que forem buscar atendimento em locais distintos, sobretudo no exterior.

Cabe ao médico ou dentista preencher o campo referente ao CID-10 para o paciente em seu requerimento. Se houver algum erro ou simplesmente se a informação não for dada, a melhor alternativa é retornar ao especialista e pedir que ele complete o formulário com o código certo. Veja também os detalhes relacionados ao CID-10 na odontologia.

Como localizar o CID-10 para odontologia

No caso das condições que pertencem à Classificação Internacional de Doenças em Odontologia e Estomatologia (CID-OE), estão listados também problemas nas cavidades orais, nos maxilares e, por fim, nas glândulas salivares.

Para melhor ordenar o CID-10, utiliza-se primeiro uma letra (de A a Z) e em sequência de números para determinar com exatidão o estado do paciente. Inicialmente, a letra indica de forma ampla a área da doença. Por exemplo, muitos dos CID-10 da odontologia são representados pela letra K e segue em subespecialidades a partir dos números até chegar na condição específica. Porém, há procedimentos, como cirurgias e implantes dentários (letra Z), que apresentam outros CID-10.

Gostou desse texto? Quer saber mais sobre o CID-10? Confira este artigo com os principais códigos e dicas de navegabilidade.