4 Coisas que seus pacientes gostariam que você soubesse (mas não te contam)

Tempo de leitura: 7 minutos

O fato de você ter clicado para ler este artigo é sinal de que você se importa com os seus pacientes e está preocupado em ser um profissional melhor, de acordo com a opinião deles. Isso é ótimo.

Porém, fica o aviso: não continue a leitura se não estiver preparado para se sentir um pouco desconfortável. Afinal, não há mudança que aconteça sem a constatação de que algo deve melhorar, não é mesmo?

Se o seu objetivo é aumentar o número de pacientes, você precisa entender como ele pensa e age. Por isso, a primeira coisa que você precisa ter em mente é que …

… Pacientes são exigentes

Assim como os clientes de qualquer área e serviço, pacientes também são (e muito!) exigentes. Essa demanda se estende por vários aspectos, e o jargão que diz que “o cliente tem sempre a razão” também está correto neste caso.

Não estamos dizendo que, diante do paciente, você deve perder a autoridade. A ideia é apenas enfatizar que, quando o assunto diz respeito a pessoas, suas necessidades devem ser, no mínimo, ouvidas.

Foi com isso em mente que separamos 4 coisas que o seu paciente gostaria que você soubesse, mas não quer te falar pessoalmente:

ATENÇÃO: Este post foi escrito do ponto de vista do paciente, por um paciente (um paciente que quer te ajudar).

“Não confio muito no que (ou em quem) não está na internet”

O comportamento das pessoas mudou muito com a era digital. Prestadores de serviço passam pelo mesmo crivo de pesquisa que um produto e, convenhamos, se você não existe no Google, você praticamente não existe.

Por isso, tenha uma presença digital. Mais que isso, tenha uma presença digital relevante e bem feita.

As pessoas continuam indicando os profissionais que elas confiam a amigos e familiares, mas muito mais do que no boca a boca, isso é feito no WhatsApp. Com links. Então, se você ainda acha que é besteira investir na sua “imagem virtual”, pense a respeito, para o seu próprio benefício.

(Tem um artigo aqui no Consultório 2.0 que fala bastante sobre a importância da presença digital e algumas maneiras de usar a tecnologia a favor do seu consultório. Clique aqui para ler.)

Se você não sabe nem por onde começar, sugiro dar uma olhada nesta página aqui: http://imedicina.com.br/pro/

“Quero entender o que está acontecendo comigo”

Tenha isso em mente: cada dia mais, os pacientes querem entender o que eles têm. Com o avanço da tecnologia e a facilidade de encontrar informações, os pacientes estão acostumados a pesquisar e, muitas vezes, não conferem a fonte. Então, pense assim: é melhor que a fonte seja você.

Gaste tempo para garantir que o paciente entendeu tudo o que está acontecendo, as etapas do tratamento, os cuidados que devem ser tomados e tudo o mais que for relevante.

“Eu também sou ocupado”

Não há nada mais desrespeitoso do que achar que alguém vive por sua conta. Com certeza você já se indignou com o atraso de algum compromisso marcado ou por ter que esperar minutos a fio em uma ligação. Essas são situações que irritam até os mais calmos.

Um software médico que tenha funções integradas de agendamento eletrônico e de relacionamento com o cliente é uma maneira de te ajudar a não perder pacientes por eles terem que esperar demais.

Uma das maiores vantagens do agendamento online é ele que dá ao paciente a liberdade de marcar uma consulta fora do horário comercial. Muitas vezes, durante o dia, os compromissos são corridos e apertados, e é à noite que as pessoas têm tempo de parar e lembrar de coisas não relacionadas ao trabalho. Se a sua agenda estiver disponível para quem precisar durante as 24 horas do dia, será muito mais fácil que as pessoas te encontrem. Pense nisso!

Outro fator a ser considerado dentro deste escopo é que não adianta muito ter um agendamento rápido e acessível se a confirmação não for efetiva. Pense comigo: se o paciente te procurou, é porque ele quer o atendimento, correto? Tudo o que você precisa fazer é lembrá-lo alguns dias antes. Dessa forma, ele não vai se esquecer do compromisso e terá a oportunidade de, caso tenha mudado de ideia, avisar com antecedência. 

Logo, não há necessidade de que essa confirmação seja feita através de uma ligação telefônica, ou há? O fato é que existem algumas outras maneiras de lembrar o seu paciente do compromisso que ele firmou com você (e que vão economizar o tempo de ambos).

Quer um exemplo? E-mails automatizados. Um bom software de gerenciamento médico te oferece a possibilidade de automatizar e-mails. O que isso quer dizer? Você pode criar modelos eficientes e personalizáveis para disparar para os seus seus pacientes com base em gatilhos específicos. Quer um exemplo? Vamos lá.

Digamos que um suposto Marcos Ferreira marcou um retorno para daqui a seis meses. Com as automatizações de e-mail, Marcos irá receber uma mensagem alguns dias antes (de acordo com a sua preferência), lembrando-o de que a consulta está chegando.

Nesses e-mails, você ainda pode personalizar campos como nome do paciente e data, além de informar sobre doenças, orientações sobre prevenção e tratamento e o que mais você desejar e for útil e relevante para o seu público. Confira mais sobre estes modelos inteligentes aqui.

“Eu escolhi vir aqui, demonstre interesse”

Mais uma vez, por conta da quantidade de informação disponível e de fácil acesso, é normal que os pacientes deem uma pesquisada sobre você (e outros médicos) antes de te escolher. Portanto, se ele chegou até a sua sala, sinta-se lisonjeado. Mas, mais importante do que saber que a escolha foi feita, é demonstrar ao paciente que você sabe e valoriza isso.

Por isso, faça por onde. Tenha respeito com o horário marcado, olhe nos olhos, demonstre interesse no que vai além da consulta. Lembre-se de que você quer que ele volte a se consultar com você, é importante fidelizá-lo. 

Uma técnica utilizada no Marketing Digital e que pode te ajudar a dar um passo a mais é o que chamamos de “nutrição de leads” mas, para os efeitos deste artigo, vamos chamar de nutrição do paciente. A ideia é de alimentar mesmo, fornecer algo para este paciente consumir. Você pode fazer isso com blog posts e e-mails, por exemplo. Tenha materiais sobre os assuntos dos principais atendimentos do seu consultório e, após a consulta, mande uma mensagem para o paciente dando dicas sobre como lidar com o problema, ou algo similar.

Alguns exemplos: um dermatologista, que atende muitas pessoas com acne, envia para esse segmento de pacientes um e-mail com dicas de alimentos que devem ser evitados durante o tratamento. Um fisioterapeuta, por sua vez, pode ter um blog post sobre exercícios que podem ser feitos em casa para ajudar nos casos de tendinite. Um gastrocirurgião pode enviar dicas para evitar a azia.

A ideia é que seu paciente perceba que você tem um interesse real nele, que vai além das paredes do consultório. Para obter ajuda sobre como implementar esse tipo de ação, clique no banner abaixo!

fale com um consultor iMedicina para aumentar pacientes

Se você percebeu que precisa mudar em alguma das coisas citadas acima, não precisa se desesperar – você não está sozinho. A jornada é longa, mas nós estamos aqui para te ajudar. Leia os artigos abaixo e veja mais dicas de como manter seus pacientes felizes:

Continue a acompanhar o blog para mais conteúdo relevante e até a próxima!