5 dicas para uma gestão financeira eficiente de clínicas médicas

Tempo de leitura: 5 minutos

Artigo escrito pela equipe do ContSelf, solução financeira que aumenta seus lucros com o fim do pagamento duplicado de impostos.

Realizar uma gestão financeira eficiente é um grande desafio em qualquer empreendimento, principalmente para as instituições de saúde, por possuírem especificidades únicas que necessitam de bastante atenção.

Neste artigo, vamos apresentar 7 dicas que poderão ajudar na execução de uma gestão financeira eficiente em clínicas médicas, e consequentemente, potencializar o crescimento.

Gestão financeira é sobre planejamento

Para alcançar o sucesso desejado em sua clínica médica, é necessário que todos os processos administrativos estejam alinhados ao mesmo objetivo, e a atenção aos detalhes financeiros são indispensáveis para o funcionamento pleno da instituição.

O gestor ou responsável pelas questões financeiras precisa ter comportamento e planejamento estratégico para que todas as ações de investimento e controle de gastos tenham o objetivo de fazer o empreendimento (clínica) crescer com qualidade e continuamente. Vamos lá?

1 – Fluxo de caixa da clínica

O primeiro passo para uma gestão financeira completa é a construção do fluxo de caixa da instituição, ou seja, ter um controle assertivo de todas as despesas e receitas do empreendimento.

Dessa forma, é possível ter uma previsão maior dos recursos financeiros, se a instituição estará com o saldo positivo para realização de investimentos ou precisará ter maior cautela quanto aos gastos e evitar ficar no negativo.  

2 – Softwares e sistemas digitais

A tecnologia é um grande facilitador para as instituições, além de um apoio para que a gestão das finanças seja mais assertiva.

O mercado oferece softwares capazes de otimizar e centralizar as informações financeiras em um único sistema, como, por exemplo, a solução financeira da ContSelf,  Saúde Pay.

O software financeiro do Saúde Pay apresenta várias funcionalidades que otimizam tempo e recursos financeiros da sua gestão, como:

  • Maquininha de cartões com inteligência integrada;
  • Split de Pagamento – Possibilidade de repassar os recebimentos entre a instituição e o respectivo percentual dos prestadores de serviços no momento em que o paciente efetua o pagamento;
  • Emissão de notas fiscais (PJ) e recibos (PF) automaticamente na própria maquininha de cartões;
  • Fluxo de caixa automatizado – as movimentações financeiras realizadas através da máquina de cartões já são lançadas automaticamente, sendo necessário o informativo manual apenas das despesas e recebimentos em dinheiro;
  • Exportação de dados para  Carnê-leão e DMED da Receita Federal;
  • Integração com sistemas clínicos;
  • Pesquisa de satisfação do paciente – NPS;
  • Fim da bitributação – Pagamento de impostos em duplicidade, uma ocorrência muito comum quando a instituição de saúde recebe os pagamentos de forma integral e precisa repassar posteriormente o percentual para cada profissional envolvido no atendimento.

3 – Priorize o crescimento da instituição

A gestão financeira é o fator inicial para que uma clínica médica cresça de forma consistente e saudável.

Afinal, o fato de ela estar conectada à qualidade do atendimento, às ações de melhoria na infraestrutura e aos serviços, leva a instituição rumo à excelência, e consequentemente, aumenta o retorno financeiro.

4 – Capacitação para a gestão

Uma boa prática para o aperfeiçoamento da gestão financeira é buscar novos conhecimentos e capacitações.

Busque, através de pesquisas e cursos, ferramentas e ações que podem inovar e qualificar a sua gestão e até mesmo da sua equipe administrativa. É fundamental se manter atualizado em um mercado que sofre constantes mudanças.

5 – Não misture as contas corporativas com as individuais

É muito comum em instituições menores, onde o proprietário também é o próprio gestor, a mistura de despesas e receitas corporativas com as pessoais. Essa prática prejudica muito o controle financeiro de uma instituição.

Com as contas misturadas fica difícil ter uma visão assertiva da realidade financeira da instituição e mensurar através de métricas a evolução do crescimento ou até mesmo a possibilidade de novos investimentos. Portanto, separe-as para uma melhor gestão.

6 – Planejamento estratégico

O planejamento estratégico e as definições das metas e objetivos principais são essenciais para guiar a gestão dos recursos financeiros de uma clínica médica.

O planejamento deve ser estruturado pensando no futuro e a organização financeira deve caminhar em prol de alcançar tais objetivos. Desta forma, é possível ter uma visão mais realista e palpável de até onde é possível chegar a curto, médio e longo prazo.

7 – Ajuda Especializada

Mesmo executando cada uma das práticas citadas acima, uma assessoria especializada na gestão financeira de instituições de saúde pode facilitar muito a sua administração.

Essa ajuda pode evitar o esquecimento de informativos e prazos importantes, como algumas declarações de recebíveis à Receita Federal, e até mesmo determinar qual o tipo de regime tributário é mais vantajoso para a sua instituição.

Você pode encontrar essa assessoria em escritórios de contabilidade ou até mesmo com um contador especializado em tributação médica.

Gestão financeira eficiente para clínicas médicas

Ao seguir cada uma dessas dicas você estará um passo à frente para iniciar uma gestão financeira eficiente e precisa da sua clínica. Comece o quanto antes e conquiste o crescimento saudável e contínuo.

Caso esse artigo tenha sido interessante para você, porém ainda deseja se aprofundar no assunto e ter instruções um pouco mais detalhadas, conheça também nosso e-book gratuito sobre como fazer uma gestão financeira eficiente!