Investimento para médicos: Como multiplicar a sua receita

Tempo de leitura: 7 minutos

Falar de dinheiro dentro da medicina ainda é algo polêmico. Afinal, quando nos perguntam o porquê da escolha profissional, ai daquele que responder: “Escolhi a medicina porque quero ganhar dinheiro”. Nós, aqui do Consultório 2.0, estamos sempre falando sobre a importância de cuidar do seu negócio como um todo. Já falamos sobre Planejamento Financeiro para o seu Consultório e sobre como ter uma Gestão Completa do seu Negócio Médico. Agora é a vez de falarmos sobre como cuidar da suas finanças pessoais, com este artigo sobre investimento para médicos.

Durante a formação médica, não existe nenhum tipo de instrução financeira. Como se pode esperar então que saberemos administrar nossa conta, ou um consultório e uma clínica? Além deste ponto, existe a outra crença de que médico ganha bem, e por isso não existe a necessidade de se preocupar com a maneira com que lida com o dinheiro. Basta um pouco de tempo no mercado para perceber a falácia de tais crenças, principalmente ao percebermos a decadência da remuneração médica nos últimos anos.

Por isso, os próximos tópicos são para te ajudar a entender sobre investimentos e algumas soluções para você por em prática logo. Vamos lá?

Coisas que você deve levar em conta ao pensar na sua saúde financeira

Existem algumas coisas que devem ser levadas em consideração ao tratarmos de investimentos e de planejamento pessoal. São alguns aspectos que você precisa ter em mente ao organizar sua vida financeira.

Tenha um orçamento mensal

É imprescindível que você tenha uma ideia clara do quanto pode gastar por mês. Se você não sabe nem por onde começar, sugiro que inicie o próximo mês anotando todos os seus gastos em uma planilha. Separe estes gastos por categorias (por exemplo: refeições fora, cinema, saídas, viagens, cuidados pessoais e etc.), assim fica mais fácil de, no mês seguinte, você ter uma estimativa de quanto separar para cada uma dessas categorias.

Crie uma reserva financeira

Qualquer pessoa deve ter uma reserva financeira, mas quando falamos de profissionais autônomos, esta regra se torna ainda mais importante. Pensar em reserva financeira é pensar em gastos que podem surgir do nada e ter o dinheiro para cobrir estes gastos sem precisar utilizar do seu orçamento mensal. Conseguir chegar ao final do mês gastando menos do que o que se ganha é bom, mas saber o que fazer com este dinheiro que sobrou é melhor ainda. Isto nos leva ao próximo passo:

Tenha um objetivo

Quais são os seus sonhos? O que te faz feliz? Qual o motivo que te faz querer acumular finanças? Quer chegar ao primeiro milhão? Quer viajar o mundo? Quer investir em imóveis? Tenha um objetivo claro e defina um prazo para esta meta. Assim, o destino do seu dinheiro ficará mais visível para você.

Perfis de Investidor

Você conhece os perfis de investidor? Sabe qual é o seu? Os perfis variam de mais conservadores a mais agressivos, e nós vamos descrevê-los aqui para que você identifique o seu.

Perfil Conservador

Uma pessoa de perfil conservador é aquela que tem como prioridade a segurança e a liquidez nos investimentos. Isso quer dizer que, se você tem um perfil de investidor conservador, você  prefere que o seu dinheiro renda menos, mas correndo menos riscos de “perder dinheiro”.

Por exemplo, em um cenário fictício, se você investisse 10 mil reais hoje, preferiria ter 11 mil em um ano do que correr o risco de ter entre 7 mil e 15 mil.

Perfil Moderado

O perfil moderado de investidor é aquele que aprecia a estabilidade que os rendimentos de renda fixa oferecem, mas ao mesmo tempo aceita ousar um pouco para ter um retorno maior, sem correr grandes riscos.

No nosso cenário fictício, essa pessoa aceitaria correr o risco de ter, ao final de um ano, entre 9 mil e 12 mil reais.

Perfil Arrojado

O investidor arrojado é aquele que sabe que, para ganhar mais, precisa correr mais riscos. Ele tem consciência de que vai perder em alguns momentos, mas de que irá ganhar em muitos outros, e assume este risco. Seu risco no entanto é calculado.

No nosso cenário de exemplo, ele é aquele investidor que aceitaria perder 3 mil reais para ter a chance de ganhar 5 mil.

Perfil Agressivo

Este é o investidor mais faminto por lucro. Tudo que ele quer saber é de ganhar o máximo que ele puder, porém sem pensar nos riscos que ele corre. É normal que investidores assim tomem decisões por impulso e meio que por conta própria, e não é por menos que, para eles, o mercado financeiro é muitas vezes como um cassino.

Colocando esse perfil no nosso exemplo, ele poderia tanto terminar o ano com 1 mil reais, quanto com 20 mil: a verdade é que não dá pra saber.

Tipos de Investimentos

Existem muitos tipos de investimentos que podemos fazer. Eles variam em tipo de renda e em segurança, mas com certeza são produtos financeiros melhores do que a poupança. Afinal, já houve anos em que o rendimento da poupança foi, literalmente, menor do que a inflação.

Renda fixa

Os investimentos de renda fixa são aqueles que, como o nome diz, podem ter os seus lucros já dimensionados no momento do investimento. Algumas opções de produtos financeiros de renda fixa são:

  • Títulos públicos do Tesouro Direto
  • CDBs (Certificados de Depósitos Bancários)
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA)
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI)
  • Fundos DI (Fundos de Renda Fixa Referenciados DI)

Renda variável

Os ativos de renda variável são aqueles que não podem ter o seu retorno de capital dimensionado no momento da aplicação. Isso porque ele pode variar, tanto negativamente quanto positivamente, de acordo com as expectativas do mercado, política mundial e etc. Alguns exemplos de ativos de renda variável são:

  • Ações
  • ETFs (Exchange Traded Funds)
  • Fundos de Ações
  • Fundos Multimercados

Como multiplicar a sua receita

Agora que já sabemos as maneiras pelas quais devemos organizar nossas finanças e os tipos de investimento existentes no mercado, chegou a hora de te dar umas dicas sobre o que você pode fazer para movimentar seu patrimônio e fazê-lo crescer. Você pode investir através de bancos tradicionais e de corretoras. Vai depender muito dos valores cobrados, de quanto você tem disponível para o investimento e do que faz você se sentir confortável em aplicar o seu dinheiro. Vamos apresentar aqui duas opções que achamos legais, vamos lá?

Monetus

A Monetus é uma gestora online de investimentos. O interessante dela é que ela faz tudo por você. Você não precisa saber ler os gráficos de fluxo do mercado, nem prever subidas e quedas. Você responde umas perguntas, eles descobrem o seu perfil, você confirma se é aquilo mesmo que vai te deixar confortável e a partir daí eles fazem toda a gestão da sua conta.

Magnetis

A Magnetis é uma gestora de investimentos independente que faz a análise do seu perfil e monta um plano personalizado para você. Com custos baixos, por poder fazer tudo pela internet, eles prometem ser “a melhor estratégia pelo menor custo”.

E você, já tem o hábito de investir? Ainda ficou com alguma insegurança? Compartilhe com a gente as suas dicas e dúvidas para podermos te ajudar.