Como ser um bom chefe: coisas que a medicina não ensina sobre a gestão de pessoas

Tempo de leitura: 6 minutos

Uma coisa é fato: não escolhemos a área da saúde para aprender administração de empresas. Apesar de algumas pessoas terem um dom natural para a gestão, não é o caso da maioria de nós. A verdade é que é preciso ler muito e ter muita força de vontade para nos tornarmos gestores com o nível de qualidade que desejamos.

Nós temos batido muito na tecla da gestão nos últimos tempos, pois acreditamos que enquanto você não estiver à frente do seu negócio em saúde com a confiança de um gestor, não haverá sucesso.

Você pode conferir alguns dos artigos em que falamos sobre gestão aqui:

Este artigo irá falar sobre uma área específica da administração: a gestão de pessoas. Ser um bom chefe pode ser muito natural para alguns e um pouco mais complicado para outros, por isso separamos algumas dicas que podem te ajudar a criar um bom ambiente de trabalho e um relacionamento profissional e saudável com a sua equipe. Vamos lá?

Política de trabalho positiva, um dever de um bom chefe

Criar uma política de trabalho positiva é imprescindível para ter um bom ambiente de trabalho. Uma cultura organizacional forte é uma das melhores maneira para ter a visão dos seus funcionários bem alinhada com a sua; a segurança de que, mesmo na sua ausência, o seu nome estará bem representado. É a cultura organizacional que irá estabelecer as diretrizes para um empreendimento de sucesso. Investir em uma política de trabalho positiva acaba gerando níveis de satisfação maior entre funcionários e, consequentemente, entre os clientes também. Por fim, mais lucro também é gerado. 

É muito importante deixar claro quais os valores, a visão e a missão nos quais você, como “empresa”, acredita. O que é imprescindível para você? No que você acredita? Quais atitudes são inaceitáveis? Tenha estas informações claras e garanta que todos estejam alinhados com a política.

Além desses primeiros passos essenciais, existem algumas atitudes que você pode pôr em prática e que irão te ajudar a criar um clima bom no seu consultório ou clínica. Vamos conferi-las a seguir.

Abra as suas portas

Sua equipe tem liberdade para vir falar com você? Você não precisa ser o tipo de pessoa que conversa com todo mundo para ser um bom chefe, mas é muito importante que, de alguma forma, os seus funcionários saibam que podem te procurar a qualquer momento. Manter as portas abertas para o diálogo, sugestões e críticas é uma prática que gera confiança e que conecta pessoas.

Deixe claro para os seus funcionários que você se importa com eles e que eles têm permissão e liberdade para te procurar e discutir qualquer assunto e dúvida que tenham.

Respeite, valorize e apoie os funcionários

Ninguém se sente bem em um ambiente onde não é valorizado ou respeitado, e as consequências disso se refletem diretamente nos seus pacientes, que percebem um funcionário infeliz de longe.

Não é apenas você, como médico, que traz lucro ao seu negócio. Cada pessoa desempenha um papel importante na visão geral que o público tem do seu consultório ou clínica. Uma boa recepção faz com que o cliente se sinta à vontade e mais propenso a voltar. Uma boa secretária faz com que o agendamento seja feito da maneira mais eficiente possível e o paciente se sinta valorizado. Um ambiente limpo e organizado acalma e colabora para que as pessoas queiram retornar sempre. Por isso, valorize os seus funcionários. Mostre a eles que você vê o trabalho que eles fazem e que é grato por isso.

No nosso artigo sobre como ter uma gestão de sucesso, temos uma seção específica sobre como liderar pessoas, que você pode ler aqui.

Comunique-se bem com sua equipe

Alinhe objetivos. Nem sempre os seus objetivos serão os mesmos dos seus funcionários. Como um bom chefe, seu papel é garantir que ambos estejam claros e conseguir alinhá-los, gerando assim, engajamento.

Escute com atenção. Quando alguém estiver falando com você, escute. Escutar não é um verbo passivo: preste atenção, faça perguntas, demonstre interesse real. Seus funcionários podem ter ideias incríveis que podem ajudar e muito na jornada do paciente, mas que você nunca saberá se não parar para ouvir.

Critique em particular. Algumas pessoas são muito reservadas e se sentem extremamente desconfortáveis com demonstrações públicas de atenção. Seja para elogiar ou para criticar. Neste último caso, a situação é um pouco mais complicada quando se trata de uma pessoa que tem um perfil mais retraído. Por isso, quando precisar fazer uma crítica construtiva a respeito de uma atitude ou comportamento, tente fazê-lo de maneira reservada, demonstrando assim preocupação e respeito para com o servidor.

Admita seus próprios erros. Em uma rotina de atendimento médico, é muito mais comum que você esteja dentro do consultório atendendo um paciente do que observando as outras funções. Por isso, caso você sugira algo que não seja a melhor opção ou perceba que o caminho que você tomou não foi o melhor, admita. Ninguém gosta de alguém que acredita estar sempre certo e não admite seus erros. Quando você toma esse tipo atitude, demonstra, pelo exemplo, que os seus funcionários podem, e devem, seguir este caminho.

Estabeleça limites profissionais

Não demonstre favoritismo. Somos seres humanos e é comum que tenhamos afinidades diferentes com as pessoas. Porém, não deixe que elas atrapalhem o seu relacionamento com o restante da equipe.

Mantenha sua vida privada como tal. Em uma equipe pequena, é comum que as pessoas se tornem amigáveis de maneira muito mais rápida do que em grupos maiores de pessoas. Com isso, o risco que se corre é que muito seja compartilhado, borrando um pouco a linha entre o profissional e o pessoal. Isso, consequentemente, faz com que os limites hierárquicos se tornem um pouco mais difíceis de serem respeitados.

Como chefe, você não está no mesmo patamar que os seus subordinados e, para o bom funcionamento do seu empreendimento, é muito importante que ninguém se esqueça disso. Não estamos falando de uma tirania, em que os seus funcionários precisem ser constantemente lembrados de quem é que manda. Como já dissemos anteriormente, um relacionamento de respeito é fundamental para o sucesso de qualquer relação profissional. Em resumo, mantenha limites, mas SEMPRE com respeito e educação.

Por último, a dica é: seja humano. Empatia é a chave fundamental para compreender o outro e ajudá-lo a alcançar a melhor versão de si.

Tudo o que falamos neste artigo é um começo para que se chegue lá. Compreender a complexidade do ser humano e suas relações é lição para a vida inteira, e isso nunca deve ser esquecido.

Quais são as suas dicas para ser um bom chefe? Deixe nos comentários, vamos adorar saber!

Até mais!