Qual a vantagem de fazer uma especialização médica hoje em dia?

Tempo de leitura: 9 minutos

Artigo escrito pela equipe do Jaleko, plataforma de ensino a distancia para cursos e concursos médicos.

As possibilidades de inserção do médico no mercado de trabalho são inúmeras. Se pensa que o “caminho natural” de um recém formado em medicina é a residência, pode ser que você esteja enganado! 41% do médicos do Brasil não têm título de especialista, ou seja, são generalistas.

É importante ter em mente que a especialização não é necessariamente uma extensão da faculdade. Muitos profissionais já formados e inseridos dentro do mercado de trabalho realizam esse aprofundamento teórico e prático.

“Por que, então, precisaria de uma especialização?”

Diversos motivos podem fazer você iniciar em programas de especialização! Tudo depende dos rumos que você quer trilhar para a sua profissão. Mas, para fazer a escolha de qual tipo de curso fazer, é preciso estar ciente das diferentes características técnicas de cada caminho, assim como as possíveis vantagens que cada uma pode oferecer.

Conheça as áreas da medicina que são mais rentáveis

O que é residência médica?

A residência é um tipo de pós graduação feita a partir da supervisão de um profissional e dentro de instituições de saúde. Estas duas características são obrigatoriedades que estabelecem o principal diferencial do programa.

Experiência

Estar no ambiente de trabalho de médicos atuantes, além de estabelecer contatos diários com os pacientes, é uma experiência enriquecedora. No caso de médicos que acabaram de sair da faculdade, esta pode ser uma oportunidade de colocar em prática o extenso conteúdo teórico aprendido ao longo dos anos. O exercício prático ainda conta com o apoio de médicos experientes na área que pretende atuar.

Especializações em Medicina: como escolher a ideal para você?

Título de Especialista

Outra característica importante é o aprofundamento em determinado segmento da medicina que tenha mais aptidão. Diferente da pós-graduação, a residência é a única que possui título de especialista reconhecido pelo MEC. É importante ressaltar que, de acordo com o decreto 80281, de 5 de setembro de 1974, o programa de residência deve ser feito preferencialmente nas áreas de Clínica Médica, Cirurgia Geral, Pediatria, Obstetrícia e Ginecologia. Mas você pode seguir muitas outros segmentos da medicina, como anestesiologia, ortopedia e dermatologia.

Fique Por Dentro: Mudança na residência de Cirurgia Geral

Mercado de Trabalho

Depois de formado, o médico já é qualificado para exercer a medicina. Entretanto, o profissional deve se limitar à pratica de Clínica Geral e não pode exercer atividades mais específicas, como cardiologia, cirurgia, neurologia e diversas outras. A residência é importante se você pretende aumentar seu leque de opções de trabalho. Além do maior número de postos em hospitais, também pode ser fundamental na hora de abrir uma clínica. A especialização é uma ótima forma de se posicionar como conhecedor de uma determinada área da saúde.

Se você começou agora a vida pós faculdade, o programa é uma e maneira de adquirir sua primeira experiência prática na emergência. Algo que com certeza vai contar na hora de procurar emprego nos hospitais, ou seu próprio negócio.

A remuneração também pode ser um fator muito atrativo para um recém formado. A bolsa do programa oferecida pelo Governo Federal é de R$ 3343,30. Mas esse valor pode variar devido ao INSS e de acordo com a instituição que está realizando. Também há o auxílio alimentação e moradia. Este último somente se for necessário para residente.

Estudo

Todo o programa de residência exige que o candidato faça uma prova, pois, na maioria das vezes, a procura é maior que a quantidade de vagas em cada hospital. Dependendo do local, essas avaliações podem ser tão ou mais difíceis que o vestibular de medicina!

Não necessariamente você quer se submeter a mais um processo de estudos logo após a faculdade. Mais um motivo para que muitos médicos decidam adiar a residência e iniciar as atividades profissionais depois da formatura.

Provas de residência médica: fique ligado em 6 mitos e verdades

Mas nada de pessimismo! O estudo não é uma etapa da sua vida, e sim um exercício constante do médico. Encare este exercício como uma oportunidade de fixar muitos conteúdos que passaram batidos durante a graduação ou uma chance relembrar a teoria que já foi esquecida pelo tempo.

E a Pós Graduação?

As pós graduações são uma forma de estabelecer uma educação continuada e aperfeiçoada depois da faculdade. Muitas das pessoas que iniciam esse programa já são especializadas em alguma área, mas desejam estar atualizadas e cada vez mais  aprofundadas no segmento da medicina em que atuam.

Não devemos parar de estudar

O médico deve estar constantemente em processo de formação. É muito importante estar por dentro das inovações dentro da medicina. Mas, além da área da saúde ser um campo em extensão contínua, cada segmento, por mais específico que for, abriga um vasto conteúdo. Toda a especialidade é um universo, um mundo inesgotável de informações a serem descobertas!

Um estudo constante é fundamental para se posicionar no mercado como um profissional competente e com uma bagagem teórica forte. Este conteúdo com certeza irá promover uma maior agilidade de raciocínio clínico na hora de resolver problemas, o que poderá impulsionar sua carreira.

Network

É muito provável que você esteja aprendendo com um corpo docente renomado na área de pós graduação que esteja fazendo. É uma ótima oportunidade de entrar em contato com os métodos, estudos e pesquisas desses profissionais. Mas, além disso, a troca entre os próprios médicos que estão realizando a especialização com você é relevante.

A área da saúde e suas diferentes segmentações podem apresentar diversas possibilidades. Muitos médicos exercem a profissão em mais de um local: podem ter um consultório e trabalhar em vários hospitais, por exemplo. Esses são novos contatos que futuramente podem ser muitos significativos, tanto para aprendizado, quanto para abrir novas possibilidades de carreira.

Isso significa uma gama de troca de experiências, oportunidades de trabalho, clientes e ainda conhecimento. Logo no início da faculdade, é possível observar que o coletivo e as relações humanas são fundamentais, tanto para crescimento profissional, quanto para acrescentar em sua bagagem teórica.

A importância da teoria na prática

Um conhecimento teórico forte é fundamental para a vivência clínica. A medida em que se aprofundar e se especializar em determinada área, mais certeiro será em diagnóstico e tratamento dos casos.

Você também poderá focar em determinado nicho já dentro da área em que atua. Cada vez mais a medicina torna-se específica. Ser conhecido por eficiência em determinado problema pode ser um bom posicionamento dentro do mercado da saúde. Especialistas em áreas como gastroenterologia, pediatria, pneumonia, por exemplo, podem fazer uma especialização em alergologia e tornarem-se médicos ultra capacitados a tratar de pacientes com alergia.

Novas abordagens

Como já foi mencionado anteriormente, estar a par das novas técnicas da medicina é essencial para melhorar o seu atendimento. As abordagens aprendidas durante a faculdade e residência já podem estar desatualizadas, por isso o médico deve estar em constante manutenção de seus métodos.

Algumas áreas, como gastroenterologia e dermatologia estão em processo de rápida expansão. Todos os anos são descobertos novos métodos e abordagens clínicas. Essas novidades podem ser vistas como uma brecha dentro do mercado e tornar-se um diferencial no seu serviço.

Atendimento clínico diferenciado

Não necessariamente você precisa fazer uma pós graduação na sua área de atuação no campo da saúde. Um conhecimento aprofundado em outro campo pode ser um outro diferencial. Desta forma, você poderá exercer um atendimento multidisciplinar nos seus pacientes. Afinal, o médico trata um ser humano, e não de um órgão ou sistema específico!

Fazer uma pós graduação em psicologia, por exemplo, pode lhe ajudar na hora de tratar pacientes na área de endocrinologia ou geriatria.  As atividades cerebrais estão intimamente relacionadas ao funcionamento do resto do corpo humano.

Aspectos Técnicos

Além das vantagem do prolongamentos de estudos teóricos, deve-se também observar os aspectos técnicos que permeiam cada especialização. Desta forma, será mais fácil escolher uma que seja condizente com os seus objetivos profissionais.

A pós graduação se divide em dois tipos: o Stricto Sensu, correspondente aos Mestrados e Doutorados, e o Lato Sensu, que são os Master Business Administrations (MBAs) e especializações. Vamos observar as principais características de cada curso:

Lato Sensu:

Menor carga horária (duração mínima de 360 horas)
Caracterizado por ser um curso mais amplo, que busca atender as demandas de mercado.
No final você deve realizar obrigatoriamente uma monografia ou um artigo
O curso pode ser feito de forma presencial ou a distância
Não precisa de aprovação do Ministério da Educação

 

Strictus Sensu:

O curso tem duração entre 24 e 36 meses
A instituição que oferece este tipo de curso deve ser avaliada e aprovada pelo MEC
O Mestrado e o Doutorado são regidos pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior)
Desenvolvimento de conhecimentos mais específicos e aprofundados
É necessário realizar no final do curso uma dissertação, tese ou estudo de caso.
O curso pode ser feito de forma presencial ou a distância

Agora que você já sabe um pouco sobre as principais características dos cursos de especialização, é só colocar a mão na massa! As possibilidades são inúmeras. Cabe a você escolher quais são as que estão de acordo com os seu interesses.

Caso escolha realizar uma prova de residência ou fazer uma prova para Mestrado ou Doutorado, é muito importante estar a par de conteúdos básicos ensinados na faculdade de medicina. Portanto, hora de arregaçar as mangas e abrir os livros (ou o ligar o computador!). Afinal, todo médico nunca deve deixar de ser um estudante de medicina.